...::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::......::: CANOA FM - A ONDA DO SUCESSO :::...

PLANTÃO CANOA AGORA -

PDFImprimirE-mail

Ceará registra 54 óbitos por dengue 

Um levantamento feito pelo Ministério da Saúde aponta que o Ceará lidera a lista dos estados com maior número de óbitos registrados por dengue em 2013. O mapa da situação da dengue nos estados brasileiros foi divulgado pelo órgão nessa terça-feira (19/11).

De acordo com o resultado, somente neste ano o Estado registrou 54 óbitos pelo Aedes aegypti. Desse total, 26 casos ocorreram em Fortaleza. A capital cearense é um dos 11 municípios do estado que estão em estado de alerta. Outras cidades cearense na mesma situação são Acaraú, Cascavel, Crateús, Horizonte, Limoeiro do Norte, Maranguape, Pacajus, Pacatuba, Parambu e Tianguá.

Além dos casos fatais, o estado tem o maior de casos graves da doença, 159. Para o combate à doença e ao mosquito transmissor, o Ministério da Saúde deve repassar ao Ceará mais de 17 milhões de reais que serão convertidos em programas.

Municípios em situação de risco

No Ceará, três municípios estão em situação de risco da dengue – Baturité, Canindé e Tauá, que apresentam mais de 4% dos domicílios com larvas do mosquito. Ao todo, foram analisadas 19 cidades cearenses. Em 11 delas, os mosquitos foram encontrados em 1% a 3,9% dos imóveis, ou seja, situação de alerta.

A pesquisa, elaborada pelo Ministério da Saúde, juntamente com estados e municípios, foi realizada entre 1º de outubro e 8 de novembro. Os dados foram apurados em 1.315 cidades, visando encontrar os focos de reprodução do mosquito.

Qua, 20 de Novembro de 2013 13:29

 

PLANTÃO CANOA AGORA -

PDFImprimirE-mail

Dilma Rousseff visita o Ceará para cumprir agenda de inaugurações na 6ª

A presidente Dilma Rousseff deverá cumprir agenda no Ceará na sexta-feira (22/11). De acordo com o cronograma de sua visita, ela desembarca na Base Aérea, em Fortaleza, por volta das 11 horas.

Ao chegar à Capital, Dilma irá para um dos trechos do Projeto Metrofor, na área do Centro, altura da Rua do Imperador, para assinar a ordem de serviço da Linha Leste. O trecho é totalmente subterrâneo e ligará o Centro ao Fórum Clóvis Beviláqua.

Acompanhada do governador Cid Gomes, Dilma almoçará no Palácio da Abolição juntamente com o prefeito Roberto Cláudio e outras autoridades estaduais. Logo em seguida a presidente irá anunciar recursos para o PAC da Mobilidade de Fortaleza na ordem de R$ 50 milhões.

Seguindo o roteiro de visitas, Dilma deverá inaugurar a Policlínica de Caucaia, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Horizonte e por fim irá entregar 500 moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida, em Pacajus.

 

Qua, 20 de Novembro de 2013 13:29

   

PLANTÃO CANOA AGORA -

PDFImprimirE-mail

Na Itália Pizzolato revela dossiê que embaraça julgamento de Barbosa

PizzolatoO pior pesadelo do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que tem dado repetidas mostras de interesse pela vida política, começa a se transformar em realidade nas próximas horas, em Roma. O ex-diretor do Banco do Brasil Francisco Pizzolato fará chegar às mãos de seus advogados italianos o relatório de perto de mil páginas, que o Correio do Brasil divulga, com exclusividade, no qual apresenta provas de que o dinheiro que deu origem à Ação Penal 470 no STF origina-se em uma empresa privada e não de um ente público, como afirma o relatório de Barbosa.

Para ocultar este fato, que coloca por terra o argumento que levou os réus na AP 470 ao Complexo Penitenciário da Papuda, segundo o dossiê apresentado por Pizzolato, que tem cidadania italiana, o então procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza e o ministro Joaquim Barbosa criaram, em 2006, e mantiveram sob segredo de Justiça dois procedimentos judiciais paralelos à Ação Penal 470. Por esses dois outros procedimentos passaram parte das investigações do chamado caso do ‘mensalão’.

O inquérito sigiloso de número 2474 correu paralelamente ao processo do chamado ‘mensalão’, que levou à condenação, pelo STF, de 38 dos 40 denunciados por envolvimento no caso, no final do ano passado, e continua em aberto. E desde 2006 corre na 12ª Vara de Justiça Federal, em Brasília, um processo contra o ex-gerente executivo do Banco do Brasil, Cláudio de Castro Vasconcelos, pelo exato mesmo crime pelo qual foi condenado no Supremo Tribunal Federal (STF) o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato.

Esses dois inquéritos receberam provas colhidas posteriormente ao oferecimento da denúncia ao STF contra os réus do ‘mensalão’ pelo procurador Antônio Fernando, em 30 de março de 2006. Pelo menos uma delas, “o Laudo de número 2828, do Instituto de Criminalística da Polícia Federal, teria o poder de inocentar Pizzolato”, afirma o dossiê.

Dinheiro da Visanet

Ainda segundo o relatório que Pizzolato apresentará, em sua defesa, na corte italiana, um tribunal de exceção foi montado no Brasil com o único objetivo de desmoralizar o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em uma clara tentativa de apeá-lo do poder antes do tempo. Embora o estratagema tenha funcionado ao contrário, com mais um mandato popular surgido das urnas ao líder petista, que em seguida elegeu a sucessora, Dilma Rousseff, o STF seguiu adiante e conseguiu que o ex-ministro José Dirceu e o deputado José Genoino (PT-SP) fossem conduzidos à prisão.

Pizzolato relata, em detalhes, as operações realizadas na campanha política de 2002 e suas ações na diretoria de Marketing do Banco do Brasil. No dossiê, ele contesta os documentos acatados como verdadeiros na AP 470.

Observem bem a data em que foi escrita a carta mentirosa do “tucano” (Antonio Luiz Rios, ex-presidente da Visanet que hoje trabalha como consultor para a Rede Globo de Televisão) e dirigida aos peritos da PF, foi em 02 de fevereiro de 2006, período em que os advogados não tinham acesso a nenhum documento. E esta carta mentirosa do “tucano” ditou, influenciou e/ou moldou todos os pareceres, perícias e fundamentalmente a própria “denúncia” da Procuradoria Geral da República e do Ministério Público Federal (PGR/MPF), bem como a argumentação do relator Joaquim Barbosa que por sua vez “convenceu” o plenário do STF. Ninguém, repito, absolutamente ninguém, nem o PGR/MPF e nem o relator, deram-se ao trabalho de observar a regra básica de uma relação de mercado, o respeito ao contrato. Pois existia um contrato que normatizava a relação da Visanet com seus sócios, os diversos bancos, sendo o maior acionista da VISANET, o Bradesco”.

Em nove capítulos, Pizzolato também revela que, em março de 2006, quando ainda presidia o STF o ministro Nelson Jobim, a CPMI dos Correios divulgou um relatório preliminar pedindo o indiciamento de 126 pessoas. Dez dias depois, em 30 de março de 2006, o procurador-geral da República já estava convencido da culpa de 40 deles. A base das duas acusações era desvio de dinheiro público (que era da bandeira Visa Internacional, mas foi considerado público, por uma licença jurídica não muito clara) do Fundo de Incentivo Visanet para o Partido dos Trabalhadores, que teria corrompido a sua base aliada com esse dinheiro. Era vital para essa tese, que transformava o dinheiro da Visa Internacional, aplicado em publicidade do BB e de mais 24 bancos entre 2001 e 2005, em dinheiro público, ter um petista no meio. Pizzolato era do PT e foi diretor de Marketing de 2003 a 2005.

Barbosa decretou segredo de Justiça para o processo da primeira instância, que ficou lá, desconhecido de todos, até 31 de outubro do ano passado. Faltavam poucos dias para a definição da pena dos condenados, entre eles Pizzolato, e seu advogado dependia de Barbosa para que o juiz da 12ª Vara desse acesso aos autos do processo, já que foi o ministro do STF que decretou o sigilo.

O relator da AP 470 interrompera o julgamento para ir à Alemanha, para tratamento de saúde. Na sua ausência, o requerimento do advogado teria que ser analisado pelo revisor da ação, Ricardo Lewandowski. Barbosa não deixou. Por telefone, deu ordens à sua assessoria que analisaria o pedido quando voltasse. Quando voltou, Barbosa não respondeu ao pedido. Continuou o julgamento. No dia 21 de novembro, Pizzolato recebeu a pena, sem que seu advogado conseguisse ter acesso ao processo que, pelo simples fato de existir, provava que o ex-diretor do BB não tomou decisões sozinho – e essa, afinal, foi a base da argumentação de todo o processo de mensalão (um petista dentro de um banco público desvia dinheiro para suprir um esquema de compra de votos no Congresso feito pelo seu partido).

No dia 17 de dezembro, quando o STF fazia as últimas reuniões do julgamento para decidir a pena dos condenados, Barbosa foi obrigado a dar ciência ao plenário de um agravo regimental do advogado de Pizzolato. No meio da sessão, anunciou “pequenos problemas a resolver” e mencionou um “agravo regimental do réu Henrique Pizzolato que já resolvemos”. No final da sessão, voltou ao assunto, informando que decidira sozinho indeferir o pedido, já que “ele (Pizzolato) pediu vistas a um processo que não tramita no Supremo”.

O único ministro que questionou o assunto, por não acreditar ser o assunto tão banal quanto falava Barbosa, foi Marco Aurélio Mello.

Mello: “O incidente (que motivou o agravo) diz respeito a que processo? Ao revelador da Ação Penal nº 470?”
Barbosa: “Não”.

Mello: “É um processo que ainda está em curso, é isso?”

Barbosa: “São desdobramentos desta Ação Penal. Há inúmeros procedimentos em curso.”

Mello: “Pois é, mas teríamos que apregoar esse outro processo que ainda está em curso, porque o julgamento da Ação Penal nº 470 está praticamente encerrado, não é?”

Barbosa: “É, eu acredito que isso deve ser tido como motivação…”

Mello: “Receio que a inserção dessa decisão no julgamento da Ação Penal nº 470 acabe motivando a interposição de embargos declaratórios.”

Barbosa: “Pois é. Mas enfim, eu estou indeferindo.”

Segue-se uma tentativa de Marco Aurélio de obter mais informações sobre o processo, e de prevenir o ministro Barbosa que ele abria brechas para embargos futuros, se o tema fosse relacionado. Barbosa reitera sempre com um “indeferi”, “neguei”. O agravo foi negado monocraticamente por Barbosa, sob o argumento de que quem deveria abrir o sigilo de justiça era o juiz da 12ª Vara. O advogado apenas consegui vistas ao processo no DF no dia 29 de abril, quando já não havia mais prazo recurssório.

Do Correio do Brasil.

Ter, 19 de Novembro de 2013 10:13

   

PLANTÃO CANOA AGORA -

PDFImprimirE-mail

Aracati terá recurso de R$ 3,6 mi para reforma do hospital municipal.

Uma emenda garantiu a liberação de R$ 3,6 milhões para a reforma do Hospital Municipal Doutor Eduardo Dias (Hmed), em Aracati. Outra emenda, R$ 1,3 milhão será liberada para à compra de equipamentos.

O prefeito da cidade, Ivan Silvério, esteve nesta semana visitando o hospital, juntamente com o secretário de saúde e secretária adjunta para elaborar a primeira fase do projeto de reforma da unidade.

Mais informações com a correspondente deste Site do Jornal Alerta Geral, Ellen Castro.

Ter, 19 de Novembro de 2013 10:13

   

PLANTÃO CANOA AGORA -

PDFImprimirE-mail

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

Trio invade e assalta casa de vereador em Icapui

Três homens armados invadiram a casa do vereador Bruno de Oliveira (PSD), em Icapuí, na noite desse sábado (16/11) e anunciaram um assalto. A Polícia Militar informou que os suspeitos estavam com os rostos cobertos por toucas quando realizaram o crime.

Conforme a PM, o trio levou da casa joias, acessórios de valor, aparelhos eletrônicos e R$ 400 em espécie. Após o roubo, os suspeitos fugiram em direção a cidade de Tibau, no Rio Grande do Norte, em um veículo Saveiro, cor branca, de placas não identificadas.

A Polícia realizou diligências na tentativa de capturar os acusados, mas até o momento ninguém preso.

Seg, 18 de Novembro de 2013 11:28

   

PLANTÃO CANOA AGORA -

PDFImprimirE-mail

Em entrevista à Veja Cid diz que 'Marina é saída honrosa de Eduardo'

O governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), diz que a líder da Rede Sustentabilidade, Marina Silva, é a “saída honrosa” do colega de Pernambuco Eduardo Campos na disputa presidencial. Cid garante que o presidente do PSB não conseguirá se viabilizar e que na hora H vai abrir mão da cabeça de chapa em favor da ex-senadora.

Como Eduardo vai levar essa candidatura adiante se as pesquisas vão mostrar a Marina com o dobro de votos?”, analisa, em entrevista às páginas amarelas da revista Veja.

Desafeto declarado de Eduardo, Cid e seu irmão, Ciro Gomes, trocaram o PSB pelo recém-criado Pros para continuar na base de sustentação da presidente Dilma Rousseff e apoiar a reeleição.

Mesmo ponderando ser suspeito para falar, já que “é da natureza humana que você venha a prognosticar aquilo que deseja”, Cid deita o sarrafo no ex-correligionário. Diz que Eduardo não representa o novo porque é neto de Miguel Arraes, foi secretário aos 20 anos e tem dois mandatos de governador.

Para Cid, Eduardo estava em uma situação de ser obrigado a sair candidato. Agora, com Marina, ele se desobriga.

Cid garante que não será candidato a nada e que seu objetivo agora é ir para o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Fonte: Brasil 247

Seg, 18 de Novembro de 2013 11:28

   

Página 4 de 9

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Próximo > Fim >>